Chile e sua diversidade de atrações

É difícil encontrar um adjetivo que defina o Chile: fantástico, incrível, maravilhoso. Um país que encanta pela diversidade de paisagens e climas: da a aridez extrema da zona desértica, no norte, passando pelas principais praias, estações de esqui e a capital Santiago, na região central e metropolitana, até chegar ao sul, região dos lagos, com seus vulcões, e a fria Patagônia chilena, onde se concentram os melhores lugares de ecoturismo do país.

Santiago

A capital é parada obrigatória para quem visita o Chile. Localizada em um vale, Santiago impressiona pelo espetáculo que oferece da Cordilheira dos Andes, uma das maiores cadeias de montanhas do mundo, com seus altos picos, que enchem os olhos dos visitantes e podem ser vistos de vários pontos da cidade.

A bela Santiago espera por você!

Grande, limpa e arborizada, a cidade é considerada um dos destinos mais desenvolvidos e cobiçados da América do Sul. Ali o visitante dispõe de uma série de pontos turísticos imperdíveis.

Vale a pena começar pelo seu centro histórico. O coração da capital fica na Plaza de Armas, local onde teve início, em 1541, o povoamento da cidade. Concentra ao seu redor alguns dos principais prédios históricos, como o Correo Central, um imponente edifício do no século XIX, e a belíssima Catedral Metropolitana de Santiago.

A belíssima Catedral Metropolitana de Santiago

Em frente à praça, encontra-se o Museu Histórico Nacional e sua Torre do Relógio, mirante com 20 metros de altura que garante vistas incríveis do centro histórico.

Outro ponto referência é o Palácio de La Moneda, uma das atrações mais famosas de Santiago. Construído em 1784 como casa de fabricação de moedas, a partir de 1846 passou a residência dos presidentes e sede do governo chileno. Para fazer um tour pelo palácio, é necessário reservar com antecedência.

Palácio de La Moneda, uma das atrações mais famosas de Santiago

Outras atrações culturais que merecem uma visita são o Museu de Arte Pré-Colombina e a Casa de Pablo Neruda. O primeiro oferece duas mostras permanentes, “Chile antes de Chile” com suas impressionantes estátuas funerárias, talhadas em madeira, oriundas da cultura aborígene mapuche, e “América Pré-Colombina”, que traz a 2.100arte de povos de MesoAmerica, Andes, Caribe e Amazonas. Já no museu sobre Pablo Neruda, chamado de La Chascona, o visitante vai encontrar muitos objetos que pertenceram ao famoso escritor, além de ficar a par da vida e da obra desse grande poeta latino-americano.

Além do centro histórico modernos bairros ligados por uma segura rede de metro, tais como Bellavista, Providência e Las Condes, oferecem a parte boêmia de Santiago, além de modernos shoppings, restaurante e bares da moda, e a hotelaria mais luxuosa da cidade. Para uma visão panorâmica de Santiago vale visitar o Cerro San Cristobal e o Cerro Santa Lucia, ambos na região central e de fácil acesso.

Para quem quiser fazer um programa diferente, a pedida é visitar o Mercado Central, principalmente se a ideia é comer peixes e frutos do mar, como o prestigiado prato tradicional, o centolla, um caranguejo gigante, que é uma sensação entre os turistas.

As tradicionais vinícolas e as estações de esqui

Outra atração imperdível para quem está em Santiago é visitar as vinícolas que se encontram nas proximidades. Afinal, os vinhos chinelos são os queridinhos dos brasileiros e vale mais do que a pena aproveitá-los.

Muitos deles são reconhecidos mundialmente como os das vinícolas Concha y Toro, Undurraga, Cousino Macul e Tarapacá, entre outras. Produzidos em vinhedos no vale de Maipu, Cosablanca ou Aconcagua que estão a menos de uma hora do centro da capital e oferecem visitas guiadas mostrando as etapas de produção do vinho, além de proporcionar degustação da bebida e até opções de almoços harmonizados.

A famosa vinícola Concha y Toro

Um passeio encantador, a partir de Santiago, é ver mais de perto a Cordilheira dos Andes. A melhor forma é visitando as estações de esqui, quando é possível subir até o topo das montanhas e se deslumbrar com uma vista incrível. Uma das mais conhecidas é Valle Nevado, considerada uma das maiores estações de esqui do Hemisfério Sul, com mais de 100 quilômetros de pistas para todos os níveis de esquiadores. A temporada vai de junho a outubro. É uma experiência inesquecível!

O turista também pode aproveitar e fazer algum bate-volta para cidades vizinhas, como Valparaíso. Cidade portuária, destaca-se pelas muitas casas coloridas que ficam em áreas inclinadas e oferecem uma bela vista para o mar. Outra dica é visitar a vizinha Viña del Mar, cidade de veraneio para os chilenos com suas praias banhadas pelo Oceano Pacífico. Apesar das águas geladas, lá é possível encontrar, pelos bons restaurantes, bares e cassinos.

A natureza estonteanteda Região dos Lagos e Vulcões

A Região dos Lagos e Vulcões, no sul chileno, encanta pela natureza exuberante. Localizada entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes, é permeada por lagos de origem glacial, parques nacionais e vulcões. Atrai porque, além de se desfrutar destas paisagens estonteantes, é também ideal para quem curte praticar o ecoturismo. Um dos lugares bastante visados para esta prática é o Parque Nacional Vicente Pérez Rosales.

Fundado em 1926, o parque – com cerca de 250 mil hectares – é o mais visitado e antigo do Chile. Isso se justifica pela diversidade de paisagem e de atrações, como os vulcões, as montanhas, as extensas florestas de árvores nativas e um dos lagos mais bonitos do sul chileno: Todos los Santos.

O interessante do parque reside exatamente no fato de o visitante não só observar a flora e a fauna da região, mas também desfrutar dos banhos termais, esqui, passeios de barco e pesca, prática de rafting nos lagos, trilhas de bike e escaladas. Para quem gosta de caminhadas, as opções de trilhas vão de caminhos curtos com dez minutos de duração a oito horas de muita adrenalina. O parque conta com excelente infraestrutura para os turistas como hotéis, restaurantes e lanchonetes.

No parque, um passeio muito indicado é visitar os Saltos do Rio Petrohué, pequenas cachoeiras com águas de cor verde-esmeralda, compondo um espetáculo inigualável. Em uma erupção ocorrida há centenas de anos, as lavas interromperam a ligação de dois lagos e, endurecidas, deram origem aos Saltos de Petrohué. Para chegar mais próximo dos saltos, o parque oferece uma boa estrutura de acesso, com várias passarelas de fácil circulação por cima do rio, o que permite apreciar o visual e tirar muitas fotos. É possível chegar ainda mais pertinho, fazendo um passeio de barco que dura, em média 15 minutos.

O vulcão Osorno é um dos maiores símbolos da região e considerado um dos mais belos do mundo

Adormecido há quase dois séculos, o vulcão Osorno, é um dos maiores símbolos da região e considerado um dos mais belos do mundo, com seus 2.661 metros, pode ser visto de várias partes da região, imponente, sobressaindo-se na paisagem.

E, o melhor, pode-se visitá-lo! O vulcão abriga uma estação de esqui. Mesmo para aqueles que não pretendem esquiar, vale muito a pena fazer esse passeio porque o visual da paisagem toda coberta de branco é inesquecível. A estação tem um teleférico – só andar nele já vale a pena – que leva esquiadores e observadores até o ponto mais alto permitido o que proporciona vistas deslumbrantes. A estação de esqui só abre durante o inverno, mas o teleférico funciona durante todo o ano.

Principal cidade turística da região, Puerto Varas, às margens do lindíssimo Lago Llanquihue e com vistas para os vulcões Osorno e Calbuco, foi fundada em 1854 por colonos alemães e suíços. A influência da colonização germânica está presente na arquitetura e na maravilhosa gastronomia local, como, por exemplo, a deliciosa torta típica de frutas chamada “Kuchen”. Os milhares de turistas que a visitam, buscam por sua excelente oferta de hotéis, lojas, restaurantes e cassino. E, claro, porque é uma delícia passear pela orla, à beira do lago, e desfrutar desse cenário relaxante. Perto dali, ficam outras duas cidadezinhas supercharmosas e simpáticas, Frutillar e Puerto Octay, ambas também de herança alemã e com paisagens incríveis!

Mas é Puerto Montt que detém a primazia de ser a mais importante cidade. Capital e principal porta de entrada e saída da região, Puerto Montt está localizada às margens do Reloncavi, enseada formada pelo Oceano Pacífico, e é o principal ponto de partida para quem quer visitar a Patagônia chilena. O Mercado de Angelmó, à beira do oceano, mistura artesanato, lojas de roupas de inverno e pequenos restaurantes cuja especialidade são os frutos do mar. A Catedral e a Plaza das Armas, são outras de suas atrações turísticas e a cidade oferece uma boa rede hoteleira e de serviços.

Um programa totalmente inusitado, entretanto, é pegar uma balsa, atravessar o canal de Chacau e visitar o arquipélago de Chiloé, composto por cerca de 30 ilhas que ficam ao sul da Região dos Lagos. A riqueza cultura e patrimonial são inestimáveis. Suas igrejas de madeira foram construídas pelos jesuítas, muitas datadas do século XVIII, e uma boa parte foi declarada, em 2000, Património Mundial pela Unesco. Outro toque diferenciado são suas pitorescas casas de palafitas coloridas.

A ilha principal é a Ilha Grande de Chiloé, onde estão as maiores comunidades: Castro e Ancud. Tudo é muito simples na ilha e, assim, é fácil se misturar com a gente local e disfrutar de sua gastronomia, com uma variedade de pratos elaborados com frutos do mar, como o típico Curanto en hoyo, feito com mariscos e batatas. Há todo um ritual para a sua elaboração: é um grande assado feito sob pedras quentes, em um buraco cavado no chão. De origem indígena, diz muito sobre aquela cultura local.

Chiloé também surpreende no quesito natureza. Seu nome deriva de Chille-Hué, ou “lugar das gaivotas”. As aves são uma das principais atrações do arquipélago – especialmente os pinguins, que ficam em ilhotas e, na primavera e verão, saem excursões para quem quiser conhecê-los.

Patagônia, uma experiência única!

É na selvagem e apaixonante Patagônia chilena que realmente se experimenta a sensação de ser um desbravador em terras desconhecidas. E é perfeito para quem curte aventura e contato com a natureza. Tudo impressiona pela grandiosidade e extensão!

Com uma geografia bastante diversificada, os visitantes podem fazer todo o tipo de ecoturismo, desde o mais leve até esportes radicais. As opções incluem passeios de caiaque ou ratfting em lagos incríveis, caminhadas e trekkings por lugares desafiadores, cavalgadas tendo como cenário uma paisagem deslumbrante, escaladas e montanhismo.

Um dos destinos mais cobiçados e imperdíveis dessa região é o Parque Nacional Torres del Paine, famoso por sua incrível cadeia montanhosa. Com formação de granito e três mil metros de extensão, podem ser vistas em diferentes pontos do parque que, inaugurado em 1959, foi declarado Reserva da Biosfera pela Unesco integrando o seleto grupo das zonas representativas dos distintos ecossistemas do mundo.

O Parque Nacional Torres del Paine é famoso por sua incrível cadeia montanhosa

Sua superfície é de cerca de 227 mil hectares. Há diferentes maneiras de percorrê-los: de carro, em ônibus de turismo, a cavalo ou navegando.

É ali também que o viajante vai conhecer as espantosas formações de gelo com cor azul-intenso, o Glaciar Grey. Se o dia estiver nublado, a cor de azul fica mais intensa e refletida na água. A sensação é indescritível! O forte barulho de um pedaço de gelo caindo na água é algo mais que marcante e inesquecível. O visitante pode optar por fazer esse passeio de barco. São três horas de percurso e é possível chegar bem perto das geleiras, o que garantirá fotos espetaculares. O visual é de enlouquecer!

Ainda na Patagônia, um de seus destaques são os cruzeiros de expedição Australis. Partindo de Punta Arenas, seus dois navios oferecem ótimas cabines, excursões e serviço completo de alimentação e bebidas a bordo. Explorando os canais, fiordes e glaciares mais austrais dos territórios chileno e argentino, os cruzeiros percorrem a Patagônia, a Terra do Fogo, o Estreito de Magalhães, o Canal de Beagle e o mítico Cabo de Hornos, oferecendo paisagens únicas e indescritíveis e uma fascinante exibição da vida selvagem

Ilha de Páscoa: umbigo do mundo!

Inusitada, isolada, misteriosa! Assim é a Ilha de Páscoa. Ponto mais distante do continente no mundo, esta ilha da Polinésia oriental, localizada no Oceano Pacífico, está a mais de 3.500 quilômetros da costa chilena, país a qual pertence.

Com uma  população de em torno de cinco mil habitantes, quase toda concentrada em Hanga Roa, tem como grande atração os Moais, enormes estátuas de pedra que se espalham por toda a extensão da ilha. Pouco se sabe a respeito de como foram construídos e transportados aos locais onde se encontram e isto só faz aumentar o fascínio por estes gigantes de pedra. Com boas opções de hospedagem e razoável infraestrutura, a ilha recebe turistas de todas as partes do mundo em busca de uma cultura milenar e da sensação de estar distante de tudo que possa lembrar a frética vida dos grandes centros urbanos.

Não há como negar. Tanta diversidade de cenários e o encanto oferecido por esse maravilhoso país andino, faz do Chile uma das mais completas experiências de viagem que se pode ter. E “único”talvez seja o adjetivo que melhor expresse a grandiosidade desse destino turístico!

Deserto do Atacama

Aridez que cativa seus visitantes

A aridez do Deserto do Atacama, localizado no norte do país – considerado o mais seco e alto do mundo – cativa a alma de qualquer viajante. É ali que se tem realmente a sensação de que o ser humano é um grão de areia diante da magnitude da natureza. É impossível não se deslumbrar com a diversidade de paisagens fantásticas que esse hábitat oferece, como vulcões, montanhas nevadas, dunas, penhascos, vales, lagos coloridos e formações rochosas.

Há uma infinidade de opções interessantes, algumas, entretanto, são clássicas e não podem ficar de fora de um bom roteiro, como visitar o Valle de la Luna e o Valle de la Muerte. O nome do primeiro local é uma referência ao relevo íngreme da lua e demonstra o que predomina nessa paisagem: montanhas arenosas, imensos paredões de sal e dunas gigantescas. A cor alaranjada do deserto contrasta com o céu azul sem nuvens, garantindo fotos maravilhosas! A próxima parada é o Valle de la Muerte, com vistas panorâmicas das áridas montanhas e um deleite para o visitante poder curtir o sol se despedindo nesse cenário único.

Imperdível também é o passeio às lagunas altiplânicas, em que se visita as lagoas Miscanti e Miñiques, com suas águas azuis, cercadas por morros e por uma vegetação amarelada. O cenário é realmente impactante. Geralmente essa excursão é casada com outros tours, como visitar a área do Salar de Atacama (deserto de sal) e da Lagoa Chaxa (uma lagoa salina com flamingos), também passeios igualmente indescritíveis, entre muitos outros que o Deserto do Atacama oferece a seus visitantes. Ele é assim: intenso e com paisagens de tirar o fôlego!

Ufa… ficou encantado? Clique aqui e confira nossos pacotes disponíveis para o Chile, ou então Monte sua Viagem!

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.